UFRA reabre inscrições para algumas áreas do Concurso para Professores

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

UFRA está com  inscrições abertas em 2017.

A Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) comunica a todos que algumas áreas do Concurso Público destinado à contratação de Professores tiveram as inscrições reabertas.

Se você tem interesse em ministrar aulas nas áreas de Administração Aplicada à Sistemas de Informação (1), Economia, Política e Legislação Ambiental (1), Teoria da Computação e Inteligência Artificial (1), Sistemas de Informação Aplicados (1), Estatística Aplicada (1), Engenharia de Produção I (1), e Administração (1), inscreva-se entre os dias 08 a 18 de novembro de 2016.

Como fazer sua Inscrição para o Concurso da UFRA 2017

Os pedidos de participação são recebidos de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, na Divisão de Concurso e Admissão (DCON/PROGEP/UFRA), situada ao lado do Prédio da Reitoria, que fica na Avenida Tancredo Neves, nº 2.501, Bairro da Terra Firme, Belém - PA.

Antes de se inscrever é preciso conferir os requisitos exigidos para a vaga pretendida. Vale lembrar também que a sua inscrição só será efetivada após o pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 150,00, via Guia de Recolhimento da União (GRU).

Como forma de classificar os inscritos serão realizadas Prova Escrita de Conhecimentos Específicos, Prova Didática e Avaliação Curricular. A aplicação ocorre nas cidades de Belém, Capitão-Poço, Paragominas, Parauapebas e Tomé-Açu, conforme a área escolhida pelo candidato.

Após serem nomeados e assumirem a função, os profissionais vão receber salários que variam de R$ 4.234,77 a R$ 9.572,67, conforme a titulação apresentada e a jornada de trabalho desempenhada, que deverá ser em regime de dedicação exclusiva, nas unidades: ICA/ Belém, ICIBE/ Belém e nos campi Capanema, Capitão Poço, Paragominas, Parauapebas e Tomé-Açu.

O resultado final deste Concurso tem validade de um ano, mas pode ser prorrogado por igual período.

UFRA

A Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), como sucessora da Faculdade de Ciências Agrárias do Pará (FCAP), é a mais antiga Instituição de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica na área de Ciências Agrárias da região e tem como tema de grande preocupação a preservação da Região Amazônica, assim como sua exploração racional.

A Faculdade de Ciências Agrárias do Pará – FCAP foi criada em 1951 como Escola de Agronomia da Amazônia (EAA), quando oferecia apenas o Curso de Graduação em Agronomia. A EAA foi criada para funcionar anexa ao Instituto Agronômico do Norte, criado em 1939, em cujas instalações deveriam coexistir, utilizando equipamentos e outros meios daquela instituição de pesquisa e incluindo as atividades de magistério da escola recém criada como nova atribuição do pessoal técnico do IAN.

O Conselho Federal de Educação, mediante Parecer no 802/71 de 09/11/71, aprovou o funcionamento do Curso de Engenharia Florestal, na Escola de Agronomia da Amazônia, o qual foi autorizado a funcionar pelo Decreto Presidencial no69.786, de 14/12/71.

Em 8 de março de 1972, pelo decreto no70.268, passou a denominar-se FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DO PARÁ–FCAP, Estabelecimento Federal de Ensino Superior, constituindo-se unidade isolada, diretamente subordinada ao Departamento de Assuntos Universitários do Ministério da Educação. Posteriormente, através do Decreto no70.686, de 07/06/72, foi transformada em autarquia de regime especial, com mesmo regime jurídico das Universidades, e, portanto, com autonomia didática, disciplinar, financeira e administrativa.

Em 16 de março de 1973, o Conselho Federal de Educação aprovou parecer ao projeto de criação do curso de Medicina Veterinária na FCAP, o qual foi autorizado a funcionar através do Decreto no72.217 de 11/5/73. No ano de 1999 foi autorizada a criação do curso de Graduação em Engenharia de Pesca com 30 vagas anuais, pela portaria MEC n°1135 de 20/07/1999 e reconhecido em 2005 pela Portaria MEC n° 3.098 de 09/09/2005.

No ano de 2000 foi autorizada a criação do curso de Zootecnia com 30 vagas anuais, pela Portaria MEC n°854 de 21/06/2000 e reconhecido posteriormente pela Portaria MEC n° 3.101 de 09/09/2005.

A fase da Pós Graduação iniciou-se em 1976 quando foi implantado o primeiro curso regular de Pós Graduação "Lato Sensu", tendo formado em 17 cursos de especialização em Heveicultura, um total de 425 especialistas. Em 1984, iniciou-se o Mestrado em Agropecuária Tropical e Recursos Hídricos, área de concentração em Manejo de Solos Tropicais, recomendado pela CAPES, o qual foi reestruturado em 1994, criando-se o Programa de Pós- graduação em

Agronomia com duas áreas de concentração – Solos e Nutrição Mineral de Plantas e Biologia Vegetal Tropical – e o Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais, com área de concentração em Silvicultura e Manejo Florestal. Em março de 2001, numa parceria com a Embrapa Amazônia Oriental, iniciou o Curso de Doutorado em Ciências Agrárias com área de concentração em Sistemas Agroflorestais, recomendado pela CAPES em 2000.

Em 2001, a CAPES aprovou a criação do curso de Mestrado em Botânica, em parceria com o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), cuja primeira turma foi selecionada em fevereiro de 2002. Ao longo desse período, a FCAP ampliou fortemente sua interação com outras instituições como o MPEG, a UFPA, o CNPq, com a UEPA e o CEFET-PA.