Prefeitura de Juara - MT anuncia processo seletivo

Prefeitura de Juara - MT está com inscrições abertas em 2017.

A Prefeitura de Juara, no Estado do Mato Grosso do Sul, informa que estão suspensos os dois Processos Seletivos promovidos pelo órgão, regidos pelos editais nº 001/2016 e nº 003/2016. A suspensão é para cumprir uma liminar emitida pelo Juiz de Direito da Comarca de Juara.

A sus é por tempo indeterminado e os candidatos terão direito ao cancelamento da inscrição e a devolução da taxa paga.

Mais informações no: concursos.consultoriaatos.com

Com o objetivo de preencher mais de 100 vagas para cargos de todos os níveis de escolaridade, a Prefeitura de Juara, no norte Mato-grossense, divulgou editais resumidos n.º 001 e 003/2016 de processo seletivo.

As chances são para os cargos de Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Professor, Apoio Administrativo Educacional, Técnico Administrativo Educacional, Técnico em Desenvolvimento Infantil, Motorista de Ônibus, Motorista de Utilitário, Médico Generalista – Clínico Geral e Técnico em Enfermagem.

Os aprovados receberão salários que variam de R$ 880,00 a R$ 10.789,24, por jornada de 30 e 40 horas semanais de trabalho.

Como fazer sua Inscrição para o Concurso da Prefeitura de Juara - MT 2017

As inscrições, no valor de R$ 30,00, serão realizadas no período de 21 a 29 de novembro de 2016, via internet, nos sites da Prefeitura Municipal - www.juara.mt.gov.br e da empresa organizadora - concursos.consultoriaatos.com, e de forma presencial na Prefeitura Municipal, situada à Rua Niterói, 81-

N - Centro - CEP: 78.575-000, no horário das 8h às 11h.

A seleção consistirá de provas objetivas, práticas e títulos, conforme a vaga disputada. As provas objetivas (para todos) e práticas (Motorista) serão realizadas na data provável de 11 de dezembro de 2016, no horário das 8h às 11h (horário oficial do Mato Grosso).

Os títulos serão recebidos no mesmo dia de aplicação das provas.

Juara - MT

O território do município de Juara foi movimentado por ocasião da navegação Paranista ou Carreira do Pará, que iniciou-se no começo do século XX. Quando os primeiros homens brancos chegaram ao território do atual município de Juara, povos indígenas Kayabí dominavam toda a região, que era muito disputada por povos de outras nações indígenas.

O principal motivo dos desajustes entre o gentio era a excelência do clima e qualidade do solo. Porém um dos maiores atrativos era a riqueza em taquara e pedra silex, matéria prima para fabricação de flechas, lanças e machados. Que serviam tanto para afazeres domésticos, agricultura, caça e quanto para fins bélicos. Ao longo dos séculos a região foi movimentada por diversas incursões de brancos às terras dos Kayabís .

Notável foi o período da terceira Borracha, a partir da década de quarenta, que devassou seringais às margens do rio Arinos. Os indícios dos tempos modernos de Juara tiveram como referência a cidade de Porto dos Gaúchos.

A 23 de setembro, a firma Sociedade Imobiliária da Bacia Amazônica – SIBAL, adguiriu uma área de 35 900 hectares de terras, cuidadosamente selecionada com fins colonizatórios.

A responsabilidade da administração para a construção da infraestrutura ficou a cargo de José Pedro Dias (Zé Paraná), nome que se confunde com a própria história de Juara.

No dia 8 de outubro de l97l, Zé Paraná e mais um grupo de pessoas, partiu das margens do Ribeirão Caracol, chegando ao córrego Água Boa, ponto inicial da colonização.

O primeiro nome dado à localidade foi Gleba Taquaral, mais tarde passou à Juara. Há certa controvérsia em relação ao topônimo Juara. Uma das versões é de que sua origem vem da língua tupi, significando “Moça Bonita”, sendo a mais bem aceita.

A outra versão é atribuída ao antigo diretor da Sibal, que teria juntado as palavras Juruena e Arinos, numa referência geográfica e formado a palavra “Juarinos”, mais tarde simplificado para Juara. Existe ainda o significado de Juara no idioma Indonésio, que significa Campeão.

Em maio de l971, começaram a chegar as primeiras famílias a Taquaral. A 8 de julho de l973, foi colocado o primeiro marco da sede, nessa época já tinham chegado à região cerca de 38 famílias, plantando arroz, milho e feijão.

A primeira produção da região foi guardada em barracão de madeira de 300 metros quadrados. Como os plantadores não tinham condução para levar para fora, a empresa colonizadora acabou comprando toda a safra colhida.

Era uma maneira de minimizar os problemas enfrentados com o escoamento do produto colhido na lavoura. Nesse tempo, em período de chuvas, as viagens eram feitas pelo rio Arinos, sendo que os produtos comestíveis e farmacêuticos vinham de Cuiabá.